Periféricos High End

Categorias


Nossos grupos no Facebook


Periféricos High End

ANÁLISE – Cooler Master MasterKeys Pro S, um compacto bastante interessante

Sávio CoelhoSávio Coelho

Introdução

O número de combinações de exigências na hora de comprar um teclado mecânico pode ser bem grande. Às vezes o teclado precisa ser barato, de tamanho completo, ABNT2, com switches “x” e iluminação RGB. Tudo de uma vez só. No geral, eu diria que é mais saudável para o mercado como um todo que hajam várias opções específicas diferentes. Por outro lado, é preciso que haja competitividade, então é normal que muitas marcas tentem apresentar produtos que entreguem o maior número possível dessas combinações (mesmo que isso resulte em opções meio bizarras de vez em quando).

teclado mecânico corsair strafe rgb

Para o usuário gamer comum, o Corsair Strafe RGB está aí e é uma das opções mais interessantes em termos de “acerto”… Mas e para o usuário um pouco mais “entusiasta”, que normalmente prefere um teclado compacto e/ou com visual mais sóbrio? Bom, nesse caso, quase sempre é preciso se voltar à marcas menos conhecidas, e que fogem um pouco desse mercado. Felizmente, ultimamente isso está cada vez mais fácil. O receio do público com os teclados TKL como o Cooler Master MasterKeys Pro S desta análise, que apenas não têm o teclado numérico, vem diminuindo bastante. Até mesmo a aceitação de teclados com o layout 60% está crescendo no Brasil.

teclado mecânico obins anne pro

Eu já mencionei anteriormente que considero a Cooler Master uma das mais corajosas dentre as marcas do mercado gamer. Toda a linha MasterKeys Pro, até o momento da publicação dessa análise, tem apenas a iluminação RGB como “apelativo”. Os gamers (que representam a maior parte do público-alvo) não costumam se interessar por um teclado que, quando desligado, parece um teclado de escritório.

Outro ponto interessante de se ter em mente para esta análise, é… A linha MasterKeys Pro visa entregar uma experiência parecida com a que os teclados da linha Shine da Ducky. Só que, claro, sem todo o capricho extra dos Shine. Só o “essencial”, digamos assim. Agora, sem mais delongas, vamos para a análise do Cooler Master MasterKeys Pro S!

Design

O Cooler Master MasterKeys Pro S é um teclado Tenkeyless, ou seja, sem o teclado numérico. Isso faz dele o menor teclado da família MasterKeys Pro. Assim como seus irmãos (MasterKeys Pro M MasterKeys Pro L), ele possui um design bem sóbrio e iluminação RGB (embora o Pro M também tenha uma versão apenas com iluminação branca).

teclado mecânico masterkeys pro s

A carcaça não possui muitos detalhes, apenas alguns recortes nas laterais e na parte traseira do teclado, para não deixar algo tão quadrado.

teclado mecânico masterkeys pro s

teclado mecânico masterkeys pro s

O MasterKeys Pro S chegou no Brasil apenas com o layout ANSI (padrão americano). Até o momento da publicação desta análise, apenas o MasterKeys Pro M possui versões ABNT2. A fonte utilizada no teclado é bem simples e discreta, meio que minimalista.

teclado mecânico masterkeys pro s

Se você é uma pessoa que gosta de teclados com design mais agressivo e que chama mais atenção, mesmo nesse momento ainda inicial da análise, creio que a única coisa que o está prendendo aqui é a iluminação RGB (haha). Sim, o design do MasterKeys Pro S é bem simples e relativamente minimalista, o que me agrada bastante.

layout TKL também pode ser um problema se você estiver muito acostumado com o teclado numérico. E não vou dizer que é apenas questão de tempo até que esse costume venha, porque não acontece sempre. O que gosto em teclados compactos é o conforto que eles proporcionam. A distância reduzida entre o teclado e o mouse fazem com que o uso fique bem mais agradável.

Construção externa

Caso tenham lido a minha análise do MasterKeys Pro M, adianto que vocês já sabem exatamente o que esperar aqui.

Antes de qualquer coisa: não, o MasterKeys Pro S não tem o design de keycaps flutuantes com acabamento em alumínio. Isso é ruim? De forma alguma. Alguns de vocês já devem estar cansados dessa explicação, então irei resumir. Praticamente todos os teclados mecânicos têm uma placa de metal em seu interior, onde os switches são montados. A capa de plástico vem por cima. O que acontece é que algumas marcas “param” a construção nessa placa de metal, estilizando a mesma, para fazer o design de teclas flutuantes e passar a impressão de que o produto possui uma construção robusta. No fim das contas, o produto fica até com um custo de produção reduzido. Veja a imagem abaixo, criada pelo Lepidus, membro do fórum Adrenaline.

A construção externa do MasterKeys Pro S é bastante sólida, com plástico de boa qualidade, que faz com ele pareça um teclado bastante robusto, mesmo sendo compacto e com visual sóbrio. A pintura é meio fosca, mas ainda assim é possível deixar marcas com facilidade. E infelizmente não temos a mesma facilidade para tirar – temos que realmente limpar o teclado (é possível visualizar a diferença na cor do teclado perto do “Esc” e perto das setas direcionais na imagem baixo.

O MasterKeys Pro S também tem cabo destacável, porém em um sistema diferente do presente no Pro M. E isso me decepcionou um pouco.

Nesse padrão encontrado no MasterKeys Pro S, o cabo só “sai” para a esquerda mesmo. Ou seja, o seu setup tem que ser convenientemente compatível com isso. No Pro M tínhamos como utilizar o cabo nas 3 direções, o que eu sempre achei algo extremamente inteligente e confortável.

Cooler Master, por favor, voltem com esse sistema e não o abandonem nunca mais. Tirando isso, o cabo (que também é Micro USB) mantém o mesmo nível, é de ótima qualidade.

Na parte inferior do teclado encontramos seus seis pés de fixação, sendo que dois destes são os de ajuste de altura. Normalmente, eu diria que os pezinhos poderiam ser maiores… Mas como o teclado é compacto e bastante pesado, até, a fixação na mesa acaba por ser boa.

Tanto os pezinhos de fixação padrões quanto os de ajustes são exatamente os mesmos do MasterKeys Pro M e cumprem bem o objetivo.

Keycaps

*Keycaps são as pecinhas de plástico com algo impresso em sua superfície, que normalmente chamamos de teclas.

As keycaps do MasterKeys Pro S são feitas em plástico ABS e têm impressão a laser. Esse é o método de impressão mais barato do mercado, e não é necessariamente ruim, mas… Com a evolução do cenário de teclados mecânicos, é possível encontrar teclados que custam 3 vezes menos e que utilizam keycaps de maior qualidade.

Para que você possa entender melhor, o método de impressão a laser consiste em pegar uma keycap transparente e pintar toda a camada externa de preto (geralmente, como é o caso do Pro S). Após isso, é utilizado um laser para remover a tinta e revelar a superfície original da keycap, que é transparente. Por exemplo, esse logotipo da Cooler Master na imagem acima foi “desenhado” por um laser.

O maior problema desse tipo de impressão é que está sujeita ao desgaste. Esse desgaste pode ocorrer com um tempo considerável, ou caso o usuário sue muito. Apesar disso nunca ter acontecido comigo, mesmo usando um mesmo teclado com keycaps com impressão a laser por muito tempo, esse é um exemplo de como elas podem ficar:

Keycaps CM Storm Trigger

Keycaps do teclado CM Storm Trigger – Créditos ao usuário Gyrferret do Reddit

Uma boa notícia é que as keycaps do MasterKeys Pro S são padronizadas. “Mas Sávio, o que isso significa?” Bem, significa que você pode comprar sets completos de keycaps personalizadas e colocar no teclado.

Na imagem abaixo temos o Pro S da nossa análise com um set feito em plástico PBT, com impressão lateral.

E aqui temos o Pro S com um set Carbon da Tai-Hao, feito em plástico ABS e com impressão Double-Shot.

Para entender mais sobre keycaps, leia o guia completo que o nosso amigo Igor Unzer fez em seu blog. No geral, está na hora das marcas mais conhecidas evoluírem a qualidade de suas keycaps. A própria Cooler Master tem o MasterKeys S (não “Pro” S), que utiliza keycaps feitas em plástico PBT. E não é um teclado caro. Claro, keycaps em plástico ABS e impressão a laser servem, mas o preço cobrado no teclado é o suficiente para cobrir os custos desse “upgrade”. Abaixo, à esquerda, temos as keycaps do Pro S. À direita, temos as keycaps Double-Shot do Redragon Kumara.

Espero que futuramente entendam isso melhor. A construção externa do MasterKeys Pro S é ótima, o teclado já possui um feeling bem sólido, então nada mais justo do que trazer isso para as keycaps também e completar o pacote.

Construção Interna

Como falei anteriormente sobre o processo de construção dos teclados que possuem design de teclas flutuantes… Para ilustrar melhor a ideia, o MasterKeys Pro S seria mais ou menos assim, só que com a placa de metal estilizada:

Bom, o MasterKeys Pro S utiliza os switches Cherry MX, e a nossa unidade utiliza o modelo Red, embora também esteja disponível nas opções Blue e Brown.

Há muito estamos acostumados a ver análises que se referem aos Cherry como simplesmente sendo os melhores… Mas agora, felizmente (para o mercado, em um cenário geral), temos mais coisa para falar a respeito do assunto e da Cherry. Mas calma, eles continuam ótimos e com um excelente controle de qualidade… Mas faremos um artigo dedicado exclusivamente a isso em breve.

O Cherry MX Red é um switch linear e leve. O que isso significa? Que da mesma maneira que ele desce, ele sobe. Sem nenhum obstáculo, sem alteração na força de atuação, nem nada. E por ser um switch leve com essas características, às vezes o seu dedo desce na tecla e você nem sente (até que você se acostume, é claro). Normalmente, esse switch é mais recomendado para quem gosta de jogar jogos do gênero FPS, mas depois que você se acostuma com um determinado switch, seja ele qual for, isso já não faz mais tanta diferença. Para entender melhor sobre switches, leia nosso guia completo.

No MasterKeys Pro S, os switches são montados na placa de metal (plate-mounted), como de costume. E abaixo podemos dar uma boa olhada no PCB, que é a sua placa lógica, onde todos os componentes importantes são ligados.

Na imagem acima vocês devem ter notado uma área muito mais “movimentada” nesse PCB. Lá encontramos a MCU e as demais controladoras do teclado. Elas são responsáveis por tudo o que ele faz, desde a comunicação com o computador até iluminação, macros etc.

Teclados mais simples, com iluminação de apenas uma cor ou RGB limitado, ou então teclado sem muitas outras funções geralmente têm apenas uma MCU simples para dar conta de tudo. Vejam abaixo os exemplos do Redragon Kumara e do Havit HV-KB366L.

Voltando ao Pro S, ele utiliza um HOLTEK HT32F1654, que é um microprocessador ARM de 32-bits. Essa MCU está em uma categoria bem acima se comparada à de teclados como os citados acima e Motospeed CK104, por exemplo.

Abaixo, temos a conexão interna de 5 pinos do cabo Micro USB. A parte branca, onde se encontra a entrada Micro USB, fica presa por dois parafusos. Dessa maneira, “trancos” no cabo dificilmente irão danificá-lo. É um bom feature, embora acidentes do tipo quase nunca aconteçam.

Os teclados fabricados pela Solid Year, que é a OEM (Original Equipment Manufacturer) utilizada pela Cooler Master são conhecidos por terem soldas de ótima qualidade. No Pro S, entretanto, apesar de estarem boas e dentro do aceitável, foi possível encontrar algumas poucas imperfeições.

MasterKeys Pro S possui construção externa e interna muito boas. Contudo, um dos pontos que a Cooler Master poderia melhorar definitivamente são as keycaps… Acho que, considerando o ano de 2017 e o que vimos nesse mercado, já passou da hora das marcas (principalmente as mais conhecidas) subirem o nível nesse aspecto também.

Software

Na questão do software, a Cooler Master tem um sistema similar ao da Logitech, porém não tão unificado quanto. Primeiro você precisa instalar o Cooler Master Portal, e ele dará a opção de instalar o software de cada um dos dispotivos da marca que forem detectados.

Por causa da possibilidade de fazer basicamente todas as configurações diretamente no teclado, o software acaba por ser bem simples e direto. Lá, encontramos apenas duas sessões de configurações: uma para a iluminação, outra para gerenciar os backups de perfis do usuário.

Créditos da imagem ao Grasiel do Oficina da Net

Na sessão da imagem acima podemos configurar o efeito de iluminação utilizado e a ordenação do mesmo. Nela também podemos habilitar ou desabilitar a taxa de repetição das teclas e configurar a velocidade do efeito de iluminação. Já na imagem abaixo, na sessão “biblioteca”, você pode manter arquivos de backups dos perfis personalizados.

Créditos da imagem ao Grasiel do Oficina da Net

Apesar de ser um software simples, leve e bem intuitivo, uma coisa bem chata e que sempre esteve presente é a necessidade de aplicar toda e qualquer mudança feita através dele.

Iluminação

A iluminação do MasterKeys Pro S, ao contrário do que estamos acostumados com teclados de baixo custo, é de 24-bits. No caso, temos 8-bits para cada cor vermelha, azul e verde (que dão o total de 24-bits), com 256 tons de cada uma das três cores do espectro RGB. Isso nos dá o famoso total de 16,8 milhões de cores. O teclado utiliza LEDs do tipo SMD, que em geral, são mais duráveis que os LEDs “comuns” de 3mm com os quais já estamos acostumados.

Além da configuração através do próprio teclado e seu software, o MasterKeys Pro S também é compatível com o Aurora! Caso não conheça, o Aurora é um software desenvolvido pela comunidade, e visa integrar a interação de equipamentos de diferentes marcas. Infelizmente, ele só é compatível com alguns periféricos que têm capacidade suficiente de processamento para features como esse:

É iluminação bem bonita e completa, com vários efeitos interessantes, incluindo o jogo da cobrinha.

Conclusão

Eu diria que a Cooler Master obteve êxito na tentativa de trazer alternativas mais acessíveis aos modelos da linha Shine da Ducky. O MasterKeys Pro S possui uma ótima qualidade de construção e um belo conjunto de features. E quando levamos em consideração a faixa de preço que gira em torno dos R$550,00, ele se torna ainda mais interessante.

A crítica permanece direcionada às keycaps, que poderiam ser de melhor qualidade. E por mais que o teclado possua um preço justo, o valor cobrado permite uma qualidade superior nesse componente, que também é bastante importante. Além disso, o cabo USB poderia ter seguido o mesmo sistema que encontramos no MasterKeys Pro M. É um sistema bem mais conveniente, quando comparamos um ao outro lado a lado.

Se o layout TKL for um incômodo, seus irmãos seguem o mesmo nível de qualidade que vimos nesta análise. E, por se tratar de um produto relativamente específico (um teclado topo de linha, mas com visual simples e discreto), ele acaba por não ter muitos concorrentes diretos por aqui. As alternativas ao MasterKeys Pro S seriam justamente os teclados nos quais ele é baseado: Ducky One TKL e One TKL RGB.

Considerando esses pontos e também o que vimos na análise, o MasterKeys Pro S é uma ótima opção se você quer um teclado mais discreto sem abrir mão do aspecto gamer e dos features de um topo de linha. Não apenas isso, ele também é uma excelente opção se você deseja um teclado que te permita economizar espaço. Não só pelo design compacto, mas pela ausência de excesso (em si) no tamanho.

Gostou da análise? Tem algo a acrescentar? Deixe sua opinião nos comentários, seu feedback é muito importante para nós!

  • Ítalo Schimitel

    Só queria entender o pq de construção interna 8/10, sendo que o na própria analise o único “defeito” foi umas soldas sem a pontinha perfeita.

  • Leo Servín

    ótimo review. Tem o link para comprar o set de keycaps feito em plástico PBT, com impressão lateral.

  • cyberknot

    Muito bom!

  • Mario

    Onde comprar o pro s no Brasil? Só encontro o pro M. D:
    Also, existe uma versão TKL sem rgb? Ou então apenas com o LED de uma única cor (para abaixar esse preço :p)