Periféricos High End

Categorias


Nossos grupos no Facebook


Periféricos High End

ANÁLISE – Alfawise V1, o teclado mecânico de R$120,00 – Será que presta?

Sávio CoelhoSávio Coelho

Introdução

Por causa da busca de teclados mecânicos com o melhor custo-benefício possível, muitas marcas ou, ainda, modelos específicos aproveitaram para ganhar um espaço gigantesco nesse mercado. E algumas empresas estão tentando fazer isso a qualquer custo. Dessa vez, a Alfawise, que tem uma certa fama com alguns produtos como TV Box, trouxe um teclado mecânico ABNT2 e RGB por R$120,00, que é um dos valores mais baixos já vistos por esse tipo de produto. Estamos falando do Alfawise V1, que gerou MUITAS postagens tanto na PHE quanto em outros canais e fóruns.

E, também, não há outra maneira de começar essa análise sem adiantar que o Alfawise V1 é, essencialmente, o mesmo teclado que o Havit HV-KB366L que analisamos recentemente. Mas, claro, existem duas diferenças muito importantes, que mostrarei no decorrer do review. Agora, vamos ver se ele vale a pena!

Design

Logo de cara, uma das primeiras coisas que você vai notar é que a Alfawise se “inspirou” no Razer BlackWidow. Aquele recorte característico no apoio de pulso e o logo no centro do mesmo ajudam bastante nessa ideia. Até mesmo o recorte presente próximo à saída do cabo USB é parecido, mas veremos isso mais à frente.

Imagem: PCWorld

No geral, isso significa que, apesar de tentar apelar para um visual “gamer”, temos algo não tão chamativo assim. As fotos acabam por mostrar algo bem bizarro, na minha opinião, mas pessoalmente até que conseguiu ser bonito.

layout do teclado é ABNT2, ou seja, padrão brasileiro. Com “Ç”, “Enter” no formato de botinha e tudo. Isso mostra o quão importante o mercado brasileiro é para a China: o teclado não é comercializado no Brasil. Essa unidade foi enviada para nós pela GearBest.

E, assim como aconteceu com o Havit HV-KB366L, a fonte utilizada no “Ç” é diferente da utilizada no restante do teclado. Isso acontece porque, basicamente, esses dois teclados utilizam as mesmas keycaps.

E sim, no Alfawise V1 também temos os LEDs cegantes presentes no Havit. Só que aqui é ainda pior. Os indicadores das teclas NumLock, CapsLock e ScrollLock são translúcidos!

O logo presente no apoio de pulso também possui LED e, assim como o teclado em si, conseguiu ser mais bonito pessoalmente do que nas fotos. Voltaremos a falar disso na parte da construção interna.

Construção Externa

Na construção externa temos uma das diferenças entre o Alfawise V1 e o Havit HV-KB366L, que é a carcaça. Ela é feita em um plástico fino, leve… Não passa sensação de resistência. Apesar de ainda ter semelhança na parte dos LEDs indicadores das funções, é muito diferente. E como mencionei anteriormente, ele utiliza o design de teclas flutuantes.

Esse design leva as pessoas a acreditarem que o teclado é mais resistente ou durável do que os que não seguem o mesmo estilo. Isso porque, geralmente, o acabamento externo é de alumínio, já que apenas estilizam o backplate e não colocam uma capa de plástico superior (assim como colocam a inferior). Em outras palavras, isso diminui os custos de produção.

Porém, no Alfawise V1, houveram cortes ainda maiores no custo de produção. Ele não só utiliza o padrão de teclas flutuantes, como não possui backplate de alumínio. Não há backplate algum. Ou melhor… Se preferirem, pode-se dizer que a própria carcaça do teclado é o seu backplate. De plástico. Pois é… Se pegarem esse teclado e estranharem que o som produzido pela digitação é mais grave do que com outros teclados, aliás, é justamente por causa disso.

“Mas Sávio, no que isso influencia?” Bom, isso resulta em um teclado extremamente leve e… Flexível. Não há nenhuma proteção, além do próprio plástico da carcaça, que o impeça de torcer a placa lógica do teclado em si. Isso não vai ser um problema se você utilizar o teclado apenas no seu computador mesmo. Mas eu certamente não recomendo levá-lo na mochila para outros lugares.

Na parte inferior do teclado, encontramos um pé de borracha em cada canto, e mais seus dois pés de ajuste de altura.

Os pezinhos de apoio têm um bom tamanho e são bem competentes. Mas, mesmo assim, por se tratar de um teclado bem leve, não é preciso muito para mantê-lo bem estável na mesa.

Keycaps

As keycaps, como mencionei brevemente, são as mesmas utilizadas no Havit HV-KB366L. Elas seguem o “padrão” normal, plástico ABS e pintura a laser, que, combinando, são as keycaps mais baratas para se produzir.

O método de pintura a laser para keycaps de teclados mecânicos iluminados consiste, basicamente, em pegar uma peça de material transparente, para que a luz possa passar, pintá-la de preto e depois, com um laser, remover a tinta formando o caractere. Assim, a luz vai passar apenas na parte em que não há mais tinta, onde o caractere foi “desenhado”.

Keycaps desgastadas

Keycaps desgastadas ficam assim

Esse método de impressão é até ok, mas possui um grande problema. Se o usuário tiver problemas com suor, ou até mesmo utilizar o teclado excessivamente, pode acontecer algo parecido com o caso da imagem acima.

Eu poderia dizer que isso é aceitável por causa do preço do teclado, mas… Existem teclados de ótima qualidade e que utilizam o método de impressão Double-Shot, que é bem superior. Um ótimo exemplo é o JamesDonkey 619. Mas existe uma justificativa para isso. Não existem sets de keycaps Double-Shot para teclados ABNT2. Para fazê-lo, é preciso encomendar, e o custo de produção fica bastante elevado nesse caso.

O método de impressão Double-Shot consiste em prensar duas peças de plástico. No caso, o plástico que forma o caractere não é a mesma peça da keycap em si. Visualize acima: a peça transparente da keycap da direita (que possui o método de impressão Double-Shot), que forma o caractere, é prensada em uma outra peça de plástico. Assim, o caractere nunca desgastará. Na esquerda, temos a keycap do Havit HV-KB366L, que é a mesma do Alfawise V1.

Para entender melhor sobre keycaps e métodos de impressão em si, leia o guia do nosso amigo Igor Unzer clicando aqui!

Construção Interna

Como sempre, começarei pelos switches. Aqui temos a segunda diferença do Alfawise V1 para o Havit HV-KB366L. No Havit, como vocês viram em nossa análise, temos switches Outemu Blue. Aqui, temos os Jixian, que são marcados pela sigla “JWH” na caixa do switch.

Esse é o ponto mais crítico do Alfawise V1, visto que esse switch é muito pouco conhecido e, além disso, só é encontrado em teclados em uma faixa de preço bem baixa. Ou seja, é um switch ainda mais barato do que Outemu, Kailh e, possivelmente, Greetech. A minha unidade do teclado inclusive apresentou um leve defeito na tecla F6, onde a mesma precisa ser pressionada com mais força para funcionar.

A diferença dele pro Outemu Blue é que ele possui uma força de atuação mais alta. Em outras palavras, é mais pesado. Além disso, o atrito sentido na “viagem” da keycap quando uma tecla é pressionada também é mais presente. Vale lembrar que, assim como ele é mais pesado que o Outemu, este último é mais pesado que o Cherry MX Blue, modelo do qual ele é clone.

Seguindo em frente, acima temos o PCB do Alfawise V1, que é, basicamente, a placa lógica. É aqui que os componentes são montados. Note que a placa fica presa diretamente à carcaça do teclado, e não a um backplate propriamente dito. E… lembram de quando eu disse que ele era, essencialmente, o mesmo teclado que o Havit? Pois bem, aqui temos a mesma placa. A única diferença está no LED que aponta para o logo da Alfawise:

Se você já leu a análise do Havit HV-KB366L, pode pular essa parte.

Aqui temos a MCU BYK816, que é a controladora do teclado. Ela é responsável pela comunicação com o computador, pelo gerenciamento da iluminação, etc. Esse modelo é um pouco mais recente que o presente nos teclados Motospeed CK104 e G.Fallen Falcão Peregrino, e aparenta ser até um pouco superior, considerando que consegue aplicar efeitos de iluminação mais complexos e melhor trabalhados.

Esse é a entrada do conector do cabo USB, que por sua vez é removível, o que facilita na manutenção do teclado, se a troca for necessária.

E esse é o conector.

Acima podemos dar uma boa olhada na organização e nas soldas do teclado, que são muito bem feitas.

E, por fim, a parte inferior da carcaça do Alfawise V1.

Iluminação

Os efeitos de iluminação, bem como a iluminação em si, também são os mesmos encontrados no Havit HV-KB366L. A diferença é que, no Alfawise, também temos iluminação configurável no logo da marca. Assista ao vídeo abaixo:

Os LEDs são do tipo SMD, que reproduzem uma iluminação melhor e são mais duráveis que os LEDs comuns de 3,5mm. O lado negativo é que, se ocorrer algum problema, a manutenção é consideravelmente mais complicada.

Conclusão

O Alfawise V1 possui uma construção interna quase ótima. A Alfawise pecou na escolha dos switches, que é justamente onde não deveria haver erro algum. Colocar um switch desconhecido no lugar de um outro que também seja barato, porém confiável, como Outemu ou Kailh, foi um pecado. A ausência de um backplate rígido para sustentar melhor o PCB também é um limite que não deveria ter sido quebrado.

No mais, temos um teclado mecânico ABNT2 e RGB, com uma boa qualidade de construção e organização de componentes por R$120,00. Tirando o fato da escolha ruim de switches, é claro. Contudo, só posso recomendar o Alfawise V1 em uma situação: se você fizer questão de um teclado RGB, ABNT2 e puder pagar R$120,00 por isso. Do contrário, recomendo optar por um JamesDonkey 619 ou até mesmo um Havit HV-KB366L, que é encontrado aqui mesmo no Brasil por um bom preço.

Se você se interessou pelo Alfawise V1, pode encontrá-lo aqui.

E aí, gostou da análise? Tem algo a acrescentar? Deixe seu feedback aí nos comentários, ele é muito importante pra gente! 🙂

  • Kaus Borealis

    1st! Eu até tentei achar o Havit pelo fato de ser ABNT, mas não achei, as únicas lojas q achei tinham a previsão de entrega pra mais de 40 dias. Flertei com esse por alguns minutos mas pensei “hm…. isso não parece muito certo…” e hoje mesmo comprei meu G610. No final das contas vai ser bom pra fazer companhia ao meu G600 🙂
    Mas é bom ter um teclado desses por aí, pois atiça a competição pelo mercado e quem sabe em breve não tenhamos ainda mais ABNTs por aí?
    Nice review, btw!

    • https://oficialphe.com.br Sávio Coelho

      E aí de novo, Kaus! Valeu, cara!

      Pois é, ele passou perto de acertar. Mas ainda bem que o que acertou em cheio foi o Havit, e aqui no Brasil mesmo.

      Mas espero que mais marcas tomem essas iniciativas, vai ser bom por mercado como um todo!

  • Gatanas Hilderjackson
  • http://www.twitter.com/zeckpolastrelli Zeck Polastrelli

    Esse teclado está custando 63 reais na GB. Tô quase pegando por conta do preço.

  • Raphaell Dyego

    vlw! muito massa o artigo!